Memorial Itinerante Africanidades

Compartilhe

Memorial Itinerante – Africanidades

Vencedor do Prêmio Ibermuseus em 2015, o Projeto  já percorreu oito cidades e faz parte das ações de democratização do Memorial Vale

O Memorial Itinerante – Africanidades é um projeto que leva à população do interior do estado um recorte do Memorial Minas Gerais Vale, localizado na capital mineira. A mostra pretende ampliar a discussão e a reflexão a respeito das questões étnico-raciais, propondo ações de fortalecimento das identidades e apropriação das matrizes africanas presentes na sociedade brasileira.

 A iniciativa inclui exposições em painéis, equipamento audiovisual e peças de acervo, além de um programa de formação em relações étnico-raciais para profissionais da área de educação e cultura. A exposição temporária será composta por uma reprodução de seis ambientes do Memorial Minas Gerais Vale, que dialogam com a presença da cultura africana na formação de Minas Gerais. São as salas Celebrações, Vale do Jequitinhonha, Fazenda Mineira, Vilas Mineiras, Povos Mineiros e Sebastião Salgado.

Pautada no trabalho realizado pelo setor educativo do Memorial Vale, a formação de profissionais de educação e cultura reitera as determinações da lei 10639/2003, que trata da obrigatoriedade de inserção, nos currículos escolares, da história e da cultura afro-brasileira. Na primeira década de existência da Lei, a sua execução tem enfrentado uma série de desafios, mostrando a importância de ações que apoiem professores e gestores na sua implementação.

A exposição já passou pelas cidades de São Gonçalo do Rio Abaixo, Rio Piracicaba, Barão de Cocais, Itabira, Mariana, Catas Altas, Ouro Preto e Aglomerado da Serra em Belo Horizonte.

Projeto premiado

O Memorial Itinerante recebeu o 1º lugar no edital de educação do Ibermuseus em 2015, que visa ampliar a capacidade educativa dos museus e do patrimônio cultural. O programa Ibermuseus é uma iniciativa de cooperação e integração dos países ibero-americanos (América Latina, Portugal e Espanha) para o fomento e articulação de políticas públicas para as áreas de museus e museologia.

O resultado foi divulgado após avaliação do comitê técnico formado por especialistas da Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Espanha, México e Uruguai. A 6ª edição do Prêmio Ibero-Americano de Educação e Museus recebeu 147 projetos provenientes de 12 países da Comunidade Ibero-Americana: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, Espanha, México, Peru, Portugal e Uruguai.